? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? – Dos meus surtos sobre Intervenção

por Marina Sertã

Eu não posso, eu não quero, impor algo a alguém, mas se esse alguém quer e está pedindo por algo, por que não prover? Mas, e se esse ato de pedir estiver baseado em uma mentalidade que foi imposta a ela por um processo de colonização? Não é a minha provisão um tipo de indireto de imposição, ou pelo menos dependente dela? Mas por que a demanda dessa pessoa não é válida se é informada por uma mentalidade imposta? Existe algum tipo de mentalidade que não é imposta, ou informada por outra, por muitas outras? Existe alguma mentalidade que seja essencialmente pura, sem interferência? Será que o problema quando essa interferência é intervenção se baseia em uma assimetria de poder muito dispare para impor uma mentalidade a outra? Qual é o problema das culturas se misturarem? Quais são as violências das misturas de culturas? Existe algo puro pra ser misturado? Será que são só misturas de misturas? Por que alguns prevalecem sobre os outros? Por que são sempre os mesmos? Quais são as estruturas opressivas que essa exploração permite? Quais são as dinâmicas de violência que essa exploração e que essa imposição criam e alimentam?

E mesmo se tudo isso for ignorado ou respondido, por que tenho que ser eu a responder? Por que eu sinto essa necessidade? O que me autoriza? O que me faz melhor? O que faz da minha resposta mais válida? Ou necessária? Eu tenho algo a oferecer? Eu tenho a solução? Quais são as racionalidades e mentalidades que informam a minha resposta, ou a vontade dela? Como a minha resposta pode ser menos impositiva? Por que eu quero que ela seja menos impositiva?

Qual é o meu lugar nisso tudo?

Por que eu quero descobrir isso? Por que eu quero responder a isso? Por que eu quero resolver isso? Por que isso me preocupa tanto? Por que me deixa louca? Por que me motiva? Por que me impulsiona? Por que me estimula? Por que me paralisa? Por que me cala? Por que me consome? Por que me desespera?

Por quê? Por quê?? Por quê??? Por quê????

Quantas pessoas morrem enquanto eu penso nisso?

O quão apelativa essa pergunta é?

Anúncios

4 comentários sobre “? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? – Dos meus surtos sobre Intervenção

  1. Pingback: A “África”, o Natal e a Ebola | O Furor

  2. Pingback: As novidades que nada têm de novo, as teorias do desenvolvimento mundial, a educação e, adivinhem, o escotismo. | O Furor

  3. Pingback: Teorias do desenvolvimento mundial, educação e, adivinhem, escotismo. | O Furor

  4. Pingback: Deixar-se afundar | O Furor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s