12 de setembro: descubra o que os muçulmanos no mundo inteiro estão comemorando apenas um dia após os 15 anos do atentado às Torres Gêmeas

por Thaís Queiroz

Você sabia que os muçulmanos do mundo inteiro estão comemorando algo hoje? Eu também não sabia. E você acha que esta comemoração tem algo a ver com os atentados de 11 de setembro, que fizeram 15 anos ontem, por conta do que você acabou de ler neste título? Eu também acharia. Mas este título é o que se costuma chamar de “desonestidade intelectual”. Uma sacanagem para confundir mentes desinformadas que o sensacionalismo das notícias hoje adora fazer com um objetivo traiçoeiro e só dá mais pano para o toldo do preconceito.

Se formos reler o título, veremos que nenhuma mentira foi contada diretamente. Os muçulmanos do mundo inteiro realmente estão comemorando algo hoje e hoje realmente faz apenas um dia do aniversário de 15 anos Continuar lendo

O problema afeta todos nós – relatos da Palestina

por Thaís Queiroz

[Este texto foi publicado originalmente no dia 1º de março pela própria autora em sua rede social. Ela retornou da Palestina no final do mês de fevereiro de 2016]

“Hoje li esta notícia: Dois soldados israelenses se perderam usando o Waze (aplicativo que indica os melhores caminhos para chegar ao destino desejado) e acabaram entrando em um campo de refugiados perto de um dos piores e mais chatos check-points de Israel (pelo qual passei diversas vezes), Qalandia, e, quando estavam no campo, os palestinos jogaram coquetéis molotov no carro. Os dois soldados fugiram e se esconderam no campo e, para resgatá-los, uma operação militar Israelense foi acionada. Em decorrência, um palestino, estudante universitário, de 22 anos foi morto, 4 foram feridos com tiros, 12 outros foram feridos com balas de borracha e efeitos do gás lacrimogêneo e 10 soldados israelenses foram feridos, um mais gravemente e nove já liberados do atendimento hospitalar. A operação aconteceu entre as 22h e as duas e meia da manhã de hoje.

Sei que a primeira reação de alguns ao ler esta notícia seria “que horror estes terroristas jogando coquetéis molotov no carro dos soldados”. E olha o que tudo isso causou.

E compreendo esta reação: isto é o que conseguimos enxergar em nossos meios de comunicação. Os sites de internet, as notícias acessíveis a nós são estas: são pessoas que se explodem para matar outras pessoas, são pessoas que esfaqueiam outras pessoas. E tudo isso é real. Tudo isto não é inventado ou aumentado. Estas ações existem.

O que não temos, no entanto, é um “background” do que acontece “no outro lado”.  Estas notícias não chegam. Não que matar alguém seja certo quando temos uma justificativa. Nada justifica. Mas é preciso tentar entender os motivos para poder diagnosticar corretamente os sintomas.

Continuar lendo

Apropriação cultural: O que é?

por Franco Alencastro

Se você circula pelas mesmas partes da internet que eu, você provavelmente viu, nessas últimas semanas, essa foto acima, acompanhada de uma legenda indignada. As pessoas que a compartilharam, em geral, reclamam da apropriação que as mulheres brancas da foto fizeram de um símbolo cultural afro-brasileiro – no caso, o turbante.

Mas o que seria apropriação cultural?

Continuar lendo

Furor indica

por Thaís Queiroz.

Hoje O Furor indica este vídeo que muito nos diz em seus 22min sobre o internacional hoje e os seres humanos que o constituem e vale ser assistido até o fim. Você sabe quem é Monica Lewinsky? A “estagiária da Casa Branca que ficou conhecida pelo escândalo de seu caso com o presidente dos Estados Unidos da América” é uma mulher forte que tomou uma atitude corajosa ao apresentar esta “TED talk”, na qual nos fala muito mais do que sobre erros: vale a pena conferir o que ela tem a nos dizer:

Comente com o que você também tem a nos dizer sobre o assunto. Vamos refletir e problematizar!

#todoconhecimentoseráproblematizado

Furor indica: “Os Filhos da Meia Noite”

por Kayo Moura.

OS-FILHOS-DA-MEIA-NOITE-

Da diretora indiana, Deepa Mehta, também diretora de “Às Margens do Rio Sagrado” (2005) e com roteiro produzido em parceria com Salman Rushdie que além de narrador da trama – e famoso pelo polêmico “Versos Satânicos”, responsável pela promulgação de sua sentença de morte, nunca efetuada, pelo Aiatolá Khomeini [1] – é também autor da premiada obra literária que baseia a adaptação cinematográfica. “Os Filhos da Meia Noite” (Midnight’s Children, 2012) conta a história de Saleem Sinai, um jovem indiano, que ao nascer no mesmo instante da emergência de uma Índia independente, tem seu destino selado com a história de seu país.     Continuar lendo

Aquilo que acontece junto de mim e não percebo – o Haiti é aqui?

por Thaís Queiroz

            Passei minhas férias em uma pequena cidade de colonização alemã no estado de Santa Catarina. Blumenau é o nome dela, a minha cidade natal. Em minha rua, uma rua tranquila de um bairro residencial afastado, vi dois novos prédios – de apenas 4 andares (que é o máximo permitido) – que não estavam ali da última vez. Antes, a rua, e praticamente todo o bairro, tinha só casas. Ao passar por estes prédios diversas vezes, quando ia pegar o ônibus, cumprimentei algumas pessoas: todas de pele negra (o que era muito raro em Blumenau) e ouvi também uma língua diferente da minha enquanto passava e eles continuavam a conversar entre si.

            O meu pai trabalhou por alguns anos no Haiti, indo e voltando de tempos em tempos, e por ele eu sabia mais ou menos como soava o creoli, a língua falada pela maioria da população de lá. Eu desconfiava que era essa: tinha bons motivos para tal. Continuar lendo

Furor Indica: Invertendo os papéis

por Carol Grinsztajn.

     Há alguns meses- na ocasião do lançamento de mais uma versão da música Do They Know Is Chrismas pra arrecadas fundos para a “África”- eu escrevi um post sobre a nossa visão da “África” como um grande “país” só esperando para ser salvo da violência, epidemias e fome. Graças à indicação da Thaís, comecei a encontrar vários vídeos que materializam essa crítica através do humor.

Continuar lendo

Sobre o atentado à Charlie Hebdo e a comoção popular

por Thaís Queiroz 

Como a maioria dos que estão conectados à internet ou a qualquer canal de televisão do país já sabem, ontem, dia 7 de janeiro de 2015, 12 pessoas foram assassinadas por dois homens armados e outras onze ficaram feridas na França, mais precisamente na edição da Revista Charlie Hebdo, mundialmente famosa (segundo o que as notícias dizem, é claro, pois eu, na minha humilde ignorância, não tinha nunca ouvido falar) por seu humor baseado em sátiras religiosas e políticas. Continuar lendo

Sobre vagões e locomotivas

por Franco Alencastro

Eu adoro São Paulo. É sério, adoro. Eu nunca fui lá, mas tenho certeza que é um estado fantástico. Agora, todos conhecemos aquele paulista, ou, melhor dizendo, o paulista que tem aquela opinião. Aquele paulista que diz que São Paulo é a locomotiva do Brasil, enquanto que os outros estados ou regiões são os vagões – que uma parte faz todo o esforço enquanto que outra faz todo o descanso. Continuar lendo